Como é feito o diagnóstico do Pé Torto Congênito?

 

 


Vários pais vêm à consulta com os filhos com pés tortos e uma grande dúvida pairando: será que eu poderia ter descoberto antes?⠀

O diagnóstico pode ser feito durante a gestação, por meio de ultrassonografia morfológica. Entretanto, ele só é confirmado, clinicamente, com a avaliação da deformidade após o nascimento e a diferenciação entre o pé torto congênito e o pé torto posicional.⠀

O Pé Torto Posicional tem exatamente a mesma deformidade que o Pé Torto Congênito (PTC): cavo, aduto (curvado para dentro), varo (o tornozelo aponta para dentro) e equino (o tendão de Aquiles fica encurtado). No entanto, logo que examinamos, o postural é quase totalmente corrigível – enquanto o PTC corrige pouco ou nada. ⠀

E existe algum outro exame que precisa ser feito? Ultrassom? Raio X?⠀

Absolutamente, não. O diagnóstico é totalmente clínico. ⠀
No entanto, durante a avaliação do bebê, o ortopedista pediátrico deve buscar por outras deformidades associadas, como, por exemplo, displasia do quadril, torcicolo muscular congênito, entre outras.⠀

Alterações associadas podem indicar que se trata de um PTC teratológico, ou seja, associado a uma síndrome – e isso é importante para definir a evolução da doença e do tratamento.⠀

Por isso, preste bastante atenção à ultrassonografia morfológica! A principal dica é: quando estiver vendo a perna de lado, o pé também tem que estar de lado; se, ao ver a perna de lado, você também vir o pé de frente, isso significa um pé torto (postural ou congênito).⠀

Dos meus dois filhos, nós ficamos quase uma hora na ultrassonografia morfológica, vendo osso por osso...⠀
Ossos do ofício.⠀
Literalmente.⠀

Um grande abraço,⠀⠀
Dr. David Nordon⠀⠀⠀⠀
CRM-SP 149764⠀l TEOT 15305 TEPOP 792⠀⠀⠀

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Dr. David Nordon

Rua José António

Coelho 801 - Vila Mariana

São Paulo - SP

​​

E-mail

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon

CRM 149.764

TEOT 15.305