Síndrome da cabeça chata

 

Quando fiz um post sobre o uso de travesseiros por crianças, uns 5 meses atrás, uma mãe me enviou uma mensagem bastante preocupada, sobre um travesseiro "revolucionário" para evitar a "temida" síndrome da cabeça chata (assim diz a propaganda).

 

Agora, o que raios é essa síndrome? Qual a chance de meu filho apresentar isso? Eu preciso sair correndo e importar um travesseiro em forma de coração só por causa disso?

 

A síndrome da cabeça chata, ou plagiocefalia, ocorre em crianças que ficam por tempo demais na mesma posição, porque o osso da criança ainda é moldável. Só que, para isso ocorrer, ela tem de ficar muito tempo mesmo - como ocorre em crianças com paralisias ou torcicolo congênito. Ou, então, ter alguma doença que fragilize a estrutura óssea, como raquitismo ou osteogênese imperfeita.

 

Crianças saudáveis, que você pega no colo, dá de mamar, etc e tal, raramente ficarão por tempo suficiente deitadas para o peso da própria cabeça conseguir deformar o crânio. Um bebê mama geralmente de três em três horas, virado para um lado, depois para o outro... E, com dois meses (e alguns pequenos, mais cedo ainda!) eles já começam a firmar e mexer o pescoço sozinhos.

 

Ou seja, o risco de desenvolver esta síndrome em crianças saudáveis é muito, muito pequeno! E, se você leu meus posts antigos, vai ver que não se recomenda uso de travesseiros por crianças até pelo menos dois anos de idade, tanto por não ser necessário, como pelo risco de sufocamento.

 

Portanto, fique tranquila: esta síndrome nem de longe é tão temida quanto diz o marketing.

 

 

Ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário ou marque uma consulta: (11) 5579-9090

Dr. David Gonçalves Nordon.
CRM 149.764 TEOT 15.305

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Dr. David Nordon

Rua José António

Coelho 801 - Vila Mariana

São Paulo - SP

​​

E-mail

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon

CRM 149.764

TEOT 15.305